sábado, 30 de janeiro de 2010

Você já descobriu sua felicidade?



Essa semana assisti um filme muito legal; Diário proibido. O filme é do ano passado (2009), mas nunca havia ouvido falar nele. A historia do filme como o próprio nome sugere é um diário de uma ninfomaníaca.
Tive vários pensamentos diferentes ao assistir o filme e pude notar no começo, o quanto eu, você, nós, somos preconceituosos. A francesa Valérie Tasso, escritora cujo relato
autobiográfico inspirou o filme é a personagem principal de Diário proibido.
Valérie descobre aos quinze anos que é compulsiva sexual, uma ninfomaníaca. No começo tive uma reação machista e achei que ela fosse uma “vagabunda”, mas a própria Val no filme me deu uma lição. “Porque os homens podem sair transando por ai e serem ‘garanhões’ e as mulheres quando transam com um e outro são ‘vagabundas’?”

Ela tentou mil maneiras de esconder seu problema e “ser feliz” como a sociedade achava que deveria ser. Acabou se casando, mas não deu certo, depois como ela gostava de sexo acabou virando uma prostituta, mas isso também não á fazia feliz.
Então ela descobriu que bastava ela ser como ela sempre foi, compulsiva mesmo, mas ela mesma, sem rótulos. A felicidade dela não estava no que a sociedade dizia que ela deveria ser, mas dentro dela mesmo o tempo todo.

O que seriam dos relacionamentos sem a internet?


Creio que mais duradouros.
São tantos meios, canais onde nos cadastramos na internet para nos comunicarmos e esses mesmos meios de comunicação são os que dão aflição aos ciumentos que possuem um parceiro.
Talvez se não existisse internet não perderíamos tanto tempo olhando twitter, orkut, fotolog, blogger, sônico e tantos outros sites onde nossos parceiros tem cadastro.
Sem internet nunca saberíamos como nossos parceiros tratam seus amigos e como eles se divertem tanto com um “estranho”. Estranho nosso é claro, já que nunca fomos apresentados a ele.
E ai nossa mente que é muito fértil imagina mil coisas...
Já conheci gente, já fui uma dessas pessoas e já observei casais de perto, que muitas vezes cedem de usarem esses veículos para que o seu relacionamento dê certo, outros terminam com traições pela internet, enquanto uma pequena parte nem quer saber do que esta rolando na internet.
Ah como a internet faz mal a um relacionamento. 



sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Quem eu sou?


Faço essa pergunta quase todos os dias para mim mesma.
Não sou nenhuma estrela de TV, mas tenho meus talentos.
Adoro desenhar, pintar camisas, escrever poesias, historias, contos, artigos...
Mas será que isso me faz ser uma artista?
Creio que não....
Também sou compositora, escrevo musicas das quais algumas pessoas gostam,
outras não entendem... Mas me satisfaço com as poucas pessoas que gostam das minhas letras, ou que gostam de me ouvir cantar.
Sou uma pessoa completamente confusa...
Agora mesmo, estou quase no final do meu curso de jornalismo, mas não me vejo trabalhando nessa profissão. Todos dizem que tenho talento para o jornalismo, mas a profissão não me agrada muito, ainda mais agora que estudei todo o lado podre que as pessoas que não cursam esse curso, talvez nunca saibam como é....
Largaria tudo para passar o dia todo escrevendo o que penso ou fazendo criticas de assuntos diversos.
A única resposta que tenho para minha pergunta inicial é que sou Madalena Lôbo e amo com todas as minhas forças a MúSiCa!